Saiba como cuidar de sua saúde, mente e corpo!

Arnica – Planta Medicinal

Arnica-planta-medicinalAssim como toda planta a Arnica tem um nome científico que é Lychnophora pinaster Mart, ela é uma planta medicinal muito utilizada como remédio para lesões ou escoriações da pele.Porém se mostra eficaz no tratamento de mordidas de animais, no tratamento de lombrigas, contra flatulência e como diurético, quando usada na forma de tintura.  

Dependendo da região em que você mora, a Arnica poderá ser conhecida por outros nomes como: Betônica, Betônica-das-Montanhas, Tabaco das Montanhas, Panaceia-das-Quedas, Craveiro-dos-Alpes, Arnica-Europeia, Arnica montana e Quina-dos-Pobres.

Propriedades da Arnica

A Arnica possui propriedades desinfetante, anti-inflamatória e antimicrobiana, pois possui lactonas sesquiterpênicas, do tipo helenolídeo, além de flavonóides como a isoquercetina, astragalina e luteolina-7-glicosídeo, e óleos essenciais como timol e seus derivados, ácidos carbônicos e cumarinas como umbeliferona e escoletina.

 

Propriedades Farmacológicas da Arnica:

As propriedades anti-inflamatórias e analgésicas da Arnica se explicam pela diminuição da atividade enzimática no processo inflamatório. O fito complexo bloqueia a inflamação causada por traumatismos, diminui a formação de exsudato(líquido que sai do ferimento no processo de cicatrização) e incrementa a reabsorção e a ação de células responsáveis pela destruição dos fragmentos biológicos de origem necróticas.

Os triterpenos encontrados na arnica são espasmolíticos(alivia espasmos) em nível de musculatura lisa, principalmente na musculatura dos vasos e permite a distinção do tecido sujeito à inflamação.

Os flavonóides potencializam a atividade dos terpenos, estabilizando a membrana celular.

 

Para que serve a Arnica

A Arnica estimula e dilata os vasos sanguíneos, permitindo que, com o aparecimento da lesão, o sangue se mova rapidamente para a área afetada e carregue para longe e de forma rápida as toxinas, impedindo que acúmulo de tecido e sangue inibam a cura. Isso faz com que a Arnica ajude no tratamento de lesões traumáticas da pele.

 Benefícios da Arnica

Antiinflamatória, tônica, estimulante, anti-séptica e analgésica.

Em uso externo é usada para tratamento de condições pós-reumáticas e pós-operatórias, tais como:

  • Hematomas;
  • Torções;
  • Escoriações;
  • Contusões;
  • edemas relacionado à fratura e dores reumáticas dos músculos e articulações;
  • Processos inflamatórios da orofaringe;
  • Furunculose;
  • Picadas e ferroadas de insetos;
  • Flebite superficial;

 

Auxilia na cicatrização de feridas, lesões desportivas, roturas de ligamentos, hematomas, contusões, fibromialgia.

Uso interno: vermes, flatulência, inchaço.

 

Modo de Usar a Arnica

  • Chá para compressa: Colocar 1 colher (de chá) da erva para cada 250 ml de água. Aplique morno com a ajuda de um tecido sobre a zona a tratar. Pode-se também utilizar este chá para fazer gargarejos para dor de garganta ou garganta inflamada.
  • Tintura: 20g de flores em 100 mL de álcool 60º. Diluir em 500mL de água.
  • Tintura a 10%: 10 gotas diluídas em água, 2 a 3 vezes ao dia nas contusões.
  • Infuso: 20g de flores em 1L de água. Usar na forma de gargarejos, bochechos e banhos.
  • Cataplasma: ferver um punhado de flores e aplica-las sobre a região atingida.
  • Pomada: passar no local 3 vezes ao dia. Usada para alívio de dor.
  • Xampus, loções capilares, sabonetes e géis: extrato glicólico ou tintura hidroalcoólica de 2 a 10%.
  • Uso interno: solução oral, glóbulos ou comprimidos preparados homeopaticamente de acordo com a prescrição.

 

Efeitos colaterais da Arnica

A Arnica em forma de planta e de extrato deve ser usada apenas externamente. A erva em comprimidos pode causar tonturas, palpitações, vômitos e tremores no coração e, se ingerida em grandes quantidades, pode levar à morte.

Ela não deve ser utilizada quando a pele está rachada ou quando há erupções cutâneas. O uso prolongado de Arnica pode causar erupções cutâneas; algumas pessoas podem ser alérgicas a essa substância. A ingestão de Arnica homeopática altamente diluída é segura, mas, como sempre, ao tratar uma doença ou se você estiver grávida ou amamentando, você deve pedir a opinião de seu médico.

Por isso o uso interno da Arnica, deve respeitar sempre as orientações do homeopata.

Contraindicações da Arnica

Indivíduos hipersensíveis a planta, gravidez e lactação.

O uso interno da Arnica, só deve ser feito através da tintura de Arnica ou de remédios homeopáticos com Arnica, sob orientação do médico homeopata, pois ela pode ser tóxica.

 

Reações adversas da Arnica

O uso interno não é indicado por ser potencialmente tóxica, exceto em preparações homeopáticas. O uso interno pode causar náuseas e irritação gástrica. Já o uso externo pode provocar dermatite de contato com formações de vesículas e ocasionalmente eczema.

Não há interação medicamentosa conhecida com outras medicações como antiinflamatórios hormonais ou não-hormonais, analgésicos ou antibióticos.

Nas preparações homeopáticas e antroposóficas seu uso é seguro e geralmente bem tolerado. Não foram relatados casos de reações adversas durante sua utilização. A única contra-indicação conhecida é a hipersensibilidade aos componentes das formulações.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *